Grumari x Grota Funda

Unidade de Conservação em que o trecho está inserido: Parque Natural Municipal de Grumari e Parque Estadual da Pedra Branca

Orientação Moderado
Nível de esforço Moderada Superior
Exposição ao risco Pequena
Insolação Alta

Distância: 6,9km Duração: 03h00

Altitude inicial: 0m Altitude máxima: 485m

Água potável: Sim Sinalização no sentido Guaratiba-Pão de Açúcar: Sim Sinalização no sentido Pão de Açúcar- Guaratiba: Sim Presença de trecho de escalaminhada: Sim

Pontos de interesse: Mirantes, Monumentos históricos

Faça aqui o download do tracklog
Faça aqui o download do mapa do trecho

Perfil altimétrico (clique para ampliar):

Distância entre as atrações do trecho e trechos seguintes:

No sentido Pão de Açúcar (Leste):

Da Sede administrativa do Parque Natural Municipal de Grumari:

  • Início da Trilha: 1,3 km
  • Alto do portão de ferro: 2,4 km
  • Casa Branca: 3,5 km
  • Pico do Morro de Santo Antônio da Bica: 4,6 km
  • Estrada da Grota Funda: 6,9 km

No sentido Barra de Guaratiba (Oeste):

Da Estrada da Grota Funda:

  • Pico do Morro de Santo Antônio da Bica: 2,5 km
  • Casa Branca: 3,6 km
  • Alto do portão de ferro: 4,5 km
  • Início da estrada de terra: 5,6 km
  • Sede administrativa do Parque Natural Municipal de Grumari: 6,9 km

Ponto de entrada oeste:

Sede administrativa do Parque Natural Municipal de Grumari

Ponto de entrada leste:

Alto da Avenida das Américas, em frente à Grota Funda

Atrações:

Caminho colonial, vistas, plantações de banana.

Informações:

Este é um trecho cansativo e onde é preciso ter algumas noções de orientação.

Há um trecho em que é necessário a utilização do apoio em um cabo de aço, próximo a estrada da Grota Funda.

No inverno às vezes as fontes secam.

Da sede administrativa do Parque Natural Municipal de Grumari para a Grota Funda, o transcarioqueiro vai caminhar em estradas de terra por 1,3 km até chegar ao pé da serra, onde vai começar a subir por uma antiga estrada cujo asfalto danificado ainda é visível. Após 2,4 km desde a sede do Parque, em um platô, à esquerda vai surgir um portão de ferro. Não entre por aí. Desça e atravesse um córrego após uma curva para a esquerda. A trilha vai progredir em meio a bananais, passar por uma encruzilhada com quatro opções (subir à esquerda), passar junto a uma casa branca com duas janelas dando de frente para a trilha e subir bastante, até atingir o topo do morro de Santo Antônio da Bica. A partir daí os próximos 2,5 quilômetros passarão por formações rochosas até que a descida final será bem íngreme, sendo necessário o auxílio de um cabo de aço na parte logo antes de chegar à Grota funda.

Um pouco de história

No caminho entre Grumari e Grota Funda, o excursionista vai caminhar cercado por bananeiras mescladas com frondosas árvores de Mata Atlântica. Os mais atentos, vão observar, no chão, as pedras da antiga estrada em pé de moleque que, quando tentou invadir o Rio de Janeiro em 1710, o corsário Du Clerc utilizou para sair de Grumari e ganhar os Campos de Sernambetiba, justamente pela Grota Funda. Isso mesmo, segundo o Barão do Rio Branco, o corsário francês François Du Clerc desembarcou na Barra de Guaratiba com 1.200 homens em 11 de agosto de 1710. Sua tropa deparou com uma pequena guarnição que não teve dificuldade em subjugar. Uma vez em terra os invasores, guiados por quatro escravos fugidos, seguiram até Grumari, de onde avançaram em direção à Baixada de Jacarepaguá pelo caminho que passa pela Garganta e, depois pelos Campos de Grumari, passando próximo de onde fica a Sede do Parque Natural Municipal de Grumari.

Já, de acordo com Augusto Tasso Fragoso, em seu livro “Os Franceses no Rio de Janeiro”, a tradição oral da região de Guaratiba leva a crer que Duclerc teria desembarcado na própria Grumari, em pequeno porto que então existia naquela praia. Depois de desembarcarem, os franceses teriam então seguido pelo segundo trecho da atual Trilha Transcarioca, transpondo o Morro de Santo Antônio da Bica, até a estrada da Grota Funda, que teriam usado para descer até os Campos de Sernambetiba.

Dali avançaram até o núcleo colonial do Rio de Janeiro, onde está hoje o Centro da Cidade. Felizmente, ao chegarem próximo ao núcleo urbano, foram derrotados pelas tropas cariocas.
Segundo Andre Decourt “a estrada da Grota Funda substituiu um velho caminho colonial, tendo sido possivelmente uma das primeiras obras realizadas no Brasil por licitação pública, seu melhoramento e construção de novas pontes de pedra em 1870 por Carlos de Magalhães de Mello, se mostrava inadequada para a região do antigo Sertão Carioca, e certamente sua substituição já estava planejada na elaboração do primitivo traçado da Rio-Santos”.

“Possivelmente seu antigo traçado serviu para escoar a produção de gêneros de parte do Sertão por mais de um século além de ter servido de rota clandestina para o tráfego negreiro. O seu arruamento como estrada de rodagem, foi empreendido na segunda metade do séc. XIX com complexas obras de engenharia. O grande número de interessados para sua construção e concessão por quatro anos mostra que a produção agrícola tanto de Guaratiba como da região das Vargens e Piabas era muito importante”.

“Com a construção da variante, integrando nas duas pontas da Av. das Américas, parte do velho traçado foi abandonado e esquecido. Podemos ver pelo Street View como era estreita a velha ligação no trecho que ainda está aberto ao tráfego passando por sítios de veraneio ou então vermos o velho trajeto engolido pelo mato do alto ou então da Estrada dos Bandeirantes graças ao capim colonião que mantém a área sem mata fechada seus cortes no relevo” .

Depois da construção do túnel da Grota Funda, em 2012, a estrada da Grota Funda, onde termina o segundo trecho e começa a terceira etapa da Trilha Transcarioca voltou a servir apenas ao trânsito local.

Galeria de fotos:

Adotante:
Ainda sem adotante

Site/Facebook do adotante:

2 Comentários

  1. Fiz esse trecho ontem e lá em cima, onda a trilha se bifurca, não tem sinalização de para onde seguir, esquerda ou direita. Uma pena mais a trilha é muito maneira.

Quer ajudar nesse trecho ou relatar problemas (manejo, vandalismo de tabuletas, pichação, ausência de sinalização, obstrução, lixo entre outros)?

XHTML: Você pode usar esses códigos para formatar seu comentário <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>